5 avaliações imprescindíveis para a implantação e manutenção da ECF

Após tomar conhecimento das informações que fazem parte da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) é hora de analisar fatos para colocar em prática sua implantação e manutenção.

Todas as transações da empresa impactam na ECF, isso porque em seu arquivo digital são apresentadas informações contábeis que contém o resultado (lucro ou prejuízo) da pessoa jurídica.

A primeira etapa a ser analisada é o mapeamento entre o Plano de Contas Contábil da pessoa jurídica com o Plano de Contas Referencial da Receita Federal, ou seja, um “De-Para” entre os planos de contas respectivamente. Sem este mapeamento não é possível enviar o arquivo da ECF, pois o Programa Validador Assinador (PVA) não validará as informações.

O segundo ponto a ser verificado é consequência da primeira etapa. É preciso avaliar se todas as contas de receitas e despesas da empresa foram mapeadas, sem esquecer que a cada ano podem existir novas contas, pois estas informações juntamente com o ajuste fiscal influenciarão o cálculo dos impostos apresentados na ECF.

O terceiro passo é checar nas empresas tributadas pelo lucro real quais são as despesas da pessoa jurídica NÃO aceitas pelo fisco como dedutíveis e quais as receitas NÃO tributáveis na apuração do IRPJ e da CSLL. As despesas não aceitas serão adicionadas e as receitas não tributadas serão excluídas do lucro contábil.

Todas as adições e exclusões devem ser mantidas em contas contábeis analíticas para que haja maior controle e detalhamento das informações entregues ao fisco.

A quarta avaliação a ser feita é quanto a obrigatoriedade de entrega da ECD – Escrituração Contábil Digital. Ela apresenta toda a escrituração contábil da empresa e, também, alimenta as informações iniciais do arquivo da ECF, por isso essas informações precisam estar em total harmonia com os procedimentos da empresa.

A quinta avaliação a ser feita é quanto ao investimento em tecnologia da informação. Um software contábil e fiscal é essencial para auxiliar a empresa na geração do arquivo da ECF, pois através dele é possível computar, armazenar, organizar, controlar e calcular os dados da pessoa jurídica. O nível de detalhamento e a complexidade das informações apresentadas no arquivo digital da ECF requerem muita atenção, organização e controle por parte da empresa e dos profissionais envolvidos.

As áreas de contabilidade e tecnologia estão cada vez mais interligadas. Por isso, diante dos rigorosos processos exigidos pelos projetos SPED é imprescindível preparar-se com antecedência, garantindo maior tranquilidade e segurança à entrega da ECF.

Fonte: WK Sistemas