8 lições de estratégia e gestão dos personagens de ‘Game of Thrones’

Com o fim da 7ª temporada de ‘Game of Thrones’, o repórter de política Zack Beauchamp, do site Vox, decidiu avaliar as estratégias tomadas pelos personagens, baseando-se em conceitos da ciência política. A revista Galileu escolheu os principais personagens e fez um compilado dessas avaliações que nós consideramos tão interessantes que resolvemos compartilhar. É claro que inserimos algumas observações importantes sobre tecnologia para gestão, afinal, agilidade e produtividade são essenciais para a sobrevivências dos reinos (ou melhor, das empresas), não é mesmo?

Atenção, a análise diz respeito à 7ª temporada e o texto abaixo é cheio de spoilers. Caso você ainda não tenha assistido todos os capítulos, recomendamos voltar a este artigo em outro momento.

Segue abaixo o ranking, do pior para o melhor estrategista:

8. Daenerys Targaryen

Khaleesi começou a temporada com um exército muito poderoso, bons alidados e três dragões. Segundo Beauchamp, ela fica no último lugar do ranking devido às suas ações de caráter revisionista, que a fizeram perder poder ao longo dos episódios.

Um estudo realizado na Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que o revisionismo falha constantemente pelas grandes promessas de um novo mundo. Como resultado, os governantes constróem estratégias focadas em seus compromissos, mas acabam tendo aborgadens perigosas e que parecem apeladoras.

“Esse é exatamente o problema que afetou Daenerys. Depois de perder seus principais aliados, ela ficou obcecada em ganhar a lealdade de Jon Snow”, afirmou Beauchamp. “Ela colocou seus dragões em risco, enviando-os para salvar Jon. E entregou uma arma de destruição que pode extinguir a vida humana.”

Uma empresa que cuida de seus recursos otimiza processos e ganha vantagem competitiva perante a concorrência. A solução o Gestão Empresarial | ERP da Senior é uma ferramenta flexível e confiável, desenvolvida para tornar a gestão das empresas ainda mais eficiente. Com o sistema, o gestor garante transparência nos processos financeiros, administrando o fluxo de caixa com informações precisas para tomada de decisão e planejamento de investimentos. Além disso, consegue automatizar processos para focar nas melhores compras, facilitando a gestão do estoque multidepósitos e multifiliais com análise de reposição automatizada.

7. Petyr Baelish, o Mindinho

Desde a primeira temporada, Mindinho manipula as pessoas ao seu redor. Para Beauchamp, Petyr Baelish sempre deu mais importância ao poder das forças que você comanda. Contudo, Westeros é uma sociedade definida não apenas pela autoridade política, mas também pela ética e regras de etiqueta.

Há uma escola construtivista nas relações internacionais que explica a importância dessas ideias. “A primeira das regras em Westeros é a lealdade à família. Por não entender essa crença, o personagem acreditava que poderia contornar Sansa Stark”, escreveu o repórter. “Ao superestimar o poder do medo e da cobiça, e subestimar as regras morais de Westeros, ele selou seu destino” — ser morto por Arya Stark.

Os valores de uma organização solidificam sua performance e sobrevivência e, para que essas crenças se sustentem ao longo do tempo, é preciso investir na atração e na retenção de talentos.

A solução Gestão de Pessoas | HCM da Senior traz para o processo de recrutamento uma poderosa ferramenta de busca de candidatos, simplicidade na gestão do processo seletivo e no cadastro de currículos e integração com as principais redes sociais do mercado. “Incorporamos na solução a tecnologia cognitiva IBM Watson™ Personality Insights que, por meio de algoritmos avançados, permite identificar os traços de personalidade dos candidatos baseado no modelo Big Five – metodologia baseada em análise linguística”, afirma o Gerente de Produto HCM da Senior, Ricardo Kremer, visando contribuir para que os clientes da Senior reduzam o tempo para fechamento das vagas com uma plataforma 100% móvel, inovadora e eficiente. Com colaboradores cada vez mais alinhados aos valores da organização, uma empresa se torna cada vez mais forte.

6. Tyrion Lannister

Além de buscar métodos para impedir as ações da irmã, Cersei Lannister, Tyrion tinha que manter sua posição como Mão da Rainha. Apesar de ter acabado a 7ª temporada no cargo, ele perdeu um pouco de sua credibilidade ao aconselhar Daenerys a não usar seus dragões para deter os inimigos.

No Livro ‘The Essence of Decision’ (A essência da decisão, sem edição no Brasil), Graham Allison, professor de Ciências Políticas de Harvard, afirma que quando autoridades tomam uma decisão, eles preferem que seus conselheiros deem aprovação e não um conselho. “Conselheiros devem ajudar a moldar a decisão em vez de desafiar seu líder”, relatou Beauchamp. “Tyrion não fez um bom trabalho ao analisar as opiniões de Daenerys e maximizar sua influência sobre ela”.

A Senior conta com uma área especifica para ajudar as empresas e seus gestores a alcançarem seus objetivos empresariais. A área de Consultoria de Negócios da companhia apresenta as melhores práticas de gestão, metodologias e benchmarking para encontrar as respostas certas, mantendo o foco no que realmente importa: o crescimento das empresas. Porque aconselhamento é bom quando defende um resultado efetivo e indicadores consistentes. Dentro de Gestão de Pessoas, por exemplo, é possível alinhar a gestão do capital humano à estratégia de negócio da empresa, promovendo um ambiente com equipes e líderes de alto desempenho e assegurando vantagem competitiva para a organização. Enquanto isso, com ações voltadas ao Desempenho Empresarial, é possível traçar estratégias dinâmicas e metas desafiadoras, visualizando em tempo real resultados, cenário operacional e melhorias sustentáveis que vão aumentar o diferencial competitivo das empresas. Para que uma empresa obtenha vantagem competitiva, ela deve buscar o alinhamento da estratégia com ações táticas e operacionais para atingir e superar seus objetivos de negócio. A combinação de metodologias e expertises da Senior permite que as empresas alcancem e acompanhem desempenhos e resultados mensuráveis e efetivos. Entretanto, vale lembrar que as estratégias devem ser atualizadas constantemente para que o planejamento seja executado de modo eficaz, sempre com a finalidade de posicionar a empresa no mercado de modo mais vantajoso.

5. Arya Stark

Com a tática ‘simples’ de matar todos os inimigos da família, Arya teve mais sucesso do que falhas em seus objetivos: além de Mindinho, ela assassinou Walder Frey e seus herdeiros. A professora Jenna Jordan, do Instituto de Tecnologia de Georgia, afirma que, quando o inimigo possui uma liderança carismática, ele é apoiado por outras autoridades poderosas. Condição que se aplica à Petyr Baelish e Walder Frey.

“Matar toda linha sucessória de homens [Frey] acabou com uma ameaça”, escreveu o repórter. “Ao eliminar Mindinho, não sobra nenhuma organização que poderá prejudicar Arya. Ela escolheu bem seus alvos e matou as pessoas certas.”

Líderes verdadeiros são aqueles que inspiram. E a tecnologia está aí para ajudar líderes inspiradores a atuarem cada vez mais integrados com suas equipes. O RH está em transformação. O mundo já é digital e as áreas de Recursos Humanos das empresas precisam acompanhar essa evolução, trabalhando um RH integralmente digital. Dentro das tendências mundiais em Gestão de Pessoas, a Senior tem uma plataforma que endereça ferramentas alinhadas a novos modelos, como a pesquisa de clima contínua, o feedback espontâneo – também conhecido como feedback 365 –, e novas formas de fazer gestão de desempenho. A Senior defende que, assim como as carreiras, o protagonismo não é uma responsabilidade exclusiva da empresa – mas sim dos colaboradores. Nesse sentido, para promover e facilitar o protagonismo dentro das organizações, nossas soluções estimulam ações que geram o autodesenvolvimento, sempre visando o alcance de resultados.

4. Sansa Stark

Uma das personagens com mais responsabilidade na 7ª temporada, Sansa conseguiu conquistar a lealdade dos povos do Norte ao se organizar para enfrentar o longo Inverno. O que é um feito interessante, visto que ela é uma jovem mulher vivendo em uma sociedade patriarcal.

Mas, segundo Beauchamp, foi justamente isso que a fez ter sucesso. “Sansa entendeu o sistema de gênero, e como isso molda as expectativas de todos“, afirmou. “Ela jogou com Mindinho, fazendo ele acreditar que ela consideraria se aliar a ele. Ela se mostrou ser a mais efetiva manipuladora.”

Apesar do primeiro algoritmo especificamente criado para ser implementado em um computador ter sido escrito por uma mulher – as notas criadas por Ada Lovelace entre 1842 e 1843 para calcular funções matemáticas sobre a primeira máquina analítica já feita a levaram a ser reconhecida internacionalmente como a primeira programadora da história e à máquina como primeiro modelo de computador – atualmente mulheres como Sansa, Sheryl Sandberg, Diretora de Operações do Facebook, Meg Whitman, CEO da HP, Marissa Mayer, CEO do Yahoo! e Ginni Rometty, CEO da IBM, são exceções.

Mesmo em mercados maduros, como os Estados Unidos, o percentual de mulheres trabalhando em tecnologia não ultrapassa os 30%. Muitas empresas começam a tentar mudar este quadro, mas a questão é ainda cultural e começa na infância, quando as famílias classificam computadores como brinquedo de meninos e depois, quando poucas mulheres são incentivadas a cursarem faculdades de matemática, engenharia ou ciência da computação.

Na Senior, valorizamos a igualdade acima de tudo. Mantemos ao longo dos últimos cinco anos uma média de 35% de mulheres em nosso quadro de colaboradores – percentual acima da média mundial, inclusive, de gigantes do setor, como Google (30% dos funcionários são mulheres), Facebook (31% são mulheres), Apple (30%) e Twitter (30%).

3. Jon Snow

De acordo com o repórter, a melhor maneira de pensar em Jon Snow é com o ‘filtro’ da diplomacia ambiental. O rapaz precisa convencer toda Westeros que uma ameça maior está vindo, e que quem estará no Trono de Ferro é o menos importante.

Robert Falkner, da London School of Economics, afirmou que acordos climáticos só têm sucesso quando os estadunidenses resolvem participar, porque o país controla muitos recursos naturais do mundo e é muito poderoso. Na série, Daenerys seria equivalente aos Estados Unidos, e Jon a convenceu a lutar contra os mortos. “Jon não só construiu uma coligação dominante anti White Walkers, mas também estruturou uma base de uma aliança permanente com um dos maiores poderes de Westeros”, falou Beauchamp.

Para sobreviver, uma empresa precisa estar em constante inovação, desenvolvendo programas de investimentos e parcerias que a façam evoluir. Para agregar valor às suas soluções e entregar ao cliente projetos completos, a Senior investe em startups por meio de um programa próprio de aceleração corporativa, conta com parcerias entre players de mercado para incremento de ofertas dentro do seu portfólio e também tem uma área dedicada para a criação de softwares personalizados, de acordo com a necessidade do cliente. Para somar, é preciso olhar para os lados e construir alianças inteligentes.

2. Rei da Noite

O conflito no Norte é o que especialistas chamam de ‘balanço ofensivo e defensivo’. O termo, do professor Robert Jervis, da Universidade de Columbia, faz referência à ideia de que a tecnologia pode moldar uma guerra entre estados.

A Muralha é uma tecnologia dominante de defesa que, apesar de difícil, não é impossível de ser destruída. O Rei da Noite entendeu esse desafio e focou suas energias em matar humanos, gigantes e ursos no Norte da Muralha para fortalecer seu exército. Na essência, ele construiu uma força militar massiva para quebrar o balanço.

Assegurar um patrimônio empresarial também passa pela tecnologia. Com o SAMSenior, uma solução de controle e acesso da Senior que opera 100% Cloud em arquitetura multi-inquilino – é possível centralizar as informações relacionadas a controle de acesso, alarmes e CFTV – circuito fechado de televisão – além de realizar operação em contingência quando não houver conexão com a nuvem. Com fácil instalação e configuração automática, do tipo Plug and Play, possui suporte nativo a diversos fabricantes de hardware, pré-configurações definidas de acordo com o segmento do cliente, como indústrias, varejos, hospitais, universidades etc., cadastros de diferentes perfis para liberação de acessos de acordo com os graus de permissão, cadastro de grupos com perfis similares e escolha de credenciais – quando a pessoa pode identificar-se em um equipamento de acesso por cartão, biometria e/ou senha.

1. Cersei Lannister

“Está claro que ninguém jogou a guerra dos tronos tão bem quanto Cersei”, ressaltou Beauchamp, que colocou a Rainha no primeiro lugar do ranking. No começo da temporada, ela estava cercada de inimigos, seu reino estava com dívidas com o Banco de Ferro, e ela ainda enfretava a ameaça dos dragões de Daenerys.

De acordo com o repórter, é necessário analisar o conceito de “a guerra é a continuação da política por outros meios”, do militar Carl von Clausewitz. Isso significa que apesar de mais sangrenta, a guerra não é fundamentalmente diferente de sanções econômicas ou negociações diplomáticas: todas procuram conquistar um fim político. Cersei entedeu bem a questão. Ela se dedicou a proteger a dinastia da família, cogita se casar com Euron Greyjoy, e até deixou Rochedo Casterly ser tomado para colocar seus inimigos numa posição vulnerável. “Nenhuma outra força de Westeros pensou tão criativamente como associar os três aspectos de poder — militar, econômia e diplomática — em função de conquistar um fim político”, escreveu Beauchamp.

Uma empresa para ser sustentável e crescer com responsabilidade precisa seguir com precisão as regras estabelecidas pela legislação brasileira. Entretanto, os gestores não precisam entender todos os pormenores – soluções de gestão empresarial já são parametrizadas para que as empresas estejam sempre em compliance. E a Senior ajuda as organizações com padronização de boas práticas e padrões legais. Nossas soluções contam com ferramentas que permitem às empresas mostrar e comprovar ao mercado que interpretam com efetividade as leis que regem suas atividades através de eficiente controle interno e atenção aos riscos operacionais. Ao estarem em compliance, as organizações conquistam, além do reconhecimento do mercado, benefícios que trazem vantagem competitiva ao negócio, como desconto em linhas de crédito e melhor retorno dos investimentos. Uma organização em compliance mantém suas informações seguras e garante o bom funcionamento e o sucesso do seu negócio.

Fonte: Senior