A importância da coordenação na cadeia produtiva da indústria de alimentos

A indústria alimentícia não para de crescer. Em 2018, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos, o setor foi responsável por 9,6% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, o que confirma a sua importância para a economia brasileira. E para garantir a qualidade dos produtos, um aspecto é essencial: a coordenação na cadeia produtiva da indústria de alimentos.

Esse segmento tem uma cadeia produtiva extensa, que começa ainda no campo, com a extração da matéria-prima, e vai até o consumidor final, depois de passar pela indústria, pelos distribuidores e pelo comércio. Dessa forma, para que os produtos mantenham a sua qualidade durante todo esse percurso, é fundamental que os agentes envolvidos estejam coordenados e em sintonia.

Mas como garantir essa coordenação na cadeia produtiva da indústria de alimentos e como ela pode impactar nos resultados de cada empresa participante dessa cadeia? É sobre isso que vamos falar neste artigo. Acompanhe!

Por que a coordenação na cadeia produtiva da indústria de alimentos é importante

Nada melhor para explicar a importância da coordenação entre todos os agentes da cadeia produtiva da indústria de alimentos do que a rastreabilidade. Esse processo já é previsto pela legislação e diz respeito ao acompanhamento dos produtos por todas as etapas da cadeia produtiva, sendo essencial para garantir a segurança e a qualidade dos alimentos.

Para entender melhor a relevância da rastreabilidade, imagine que um consumidor final compra um determinado alimento e, após consumi-lo, passa mal. De imediato, é preciso saber qual é a origem do alimento, a fim de retirá-lo do mercado para que outras pessoas não sejam infectadas também.

Se não houver rastreabilidade, pode até ser possível identificar o distribuidor e a empresa fabricante, mas se ela tiver muitos fornecedores, descobrir qual é a origem do produto infectado pode se tornar um desafio. Por consequência, muitos consumidores seriam expostos aos riscos de contaminação e a imagem de todas as empresas envolvidas seria prejudicada.

Como os agentes envolvidos se beneficiam dessa coordenação

A rastreabilidade é apenas um exemplo de como é importante que todos os agentes envolvidos na cadeia produtiva da indústria de alimentos atuem em sintonia. Porém, essas empresas ainda podem se beneficiar de diversas outras formas, mesmo antes de firmarem contrato entre si, como ocorre com a gestão de fornecedores.

Hoje, os consumidores estão cada vez mais preocupados em adquirir produtos de empreendimentos que respeitem questões socioambientais e, por consequência, boicotam negócios que prejudicam o meio ambiente ou que não garantem os direitos trabalhistas aos seus empregados. Estar associada a uma empresa que comete irregularidades pesa contra a imagem do restante da cadeia.

Dessa forma, a coordenação com os demais agentes permite entender de que forma eles agem para garantir que o seu empreendimento não esteja ligado a más condutas, o que chamamos de gestão da cadeia de fornecedores. Já depois dessa fase, durante as operações, a sintonia entre as empresas é essencial para reduzir custos e aumentar a produtividade de todas elas.

Como a atividade de um agente é complementar à do outro em uma cadeia produtiva, manter uma boa comunicação entre todas as partes é um requisito para que todos tenham sucesso. Por exemplo, é fundamental que uma indústria de pães saiba quando os produtores de trigo e óleo de soja podem entregar as quantidades que ela precisa de cada produto.

Também é essencial que ela possa atestar a qualidade dessa matéria-prima para produzir os pães. A cadeia segue com os distribuidores que, por sua vez, precisam de bons preços e prazos para repassar os pães ao comércio. Na última etapa, os supermercados, mercearias e atacadistas dependem dessa coordenação para manter as prateleiras repletas de produtos de qualidade para o consumidor final.

Quando toda essa cadeia funciona em sintonia, cada agente entende as necessidades do outro, seja em relação à qualidade das mercadorias, seja no que diz respeito aos preços e prazos de entrega. Com isso, conseguem reduzir custos e aumentar a produtividade, trazendo benefícios também para os consumidores.

Como garantir a coordenação na cadeia produtiva da indústria de alimentos

Para que tudo funcione em sintonia, é preciso, em primeiro lugar, garantir um bom relacionamento entre os agentes da cadeia produtiva da indústria de alimentos, pois a comunicação é um aspecto primordial para coordenar as atividades. Nesse sentido, a tecnologia tem papel estratégico, já que proporciona mais agilidade, segurança e confiabilidade em relação às informações.

Um exemplo é o ERP Radar Empresarial, desenvolvido pela WK Sistemas. Ele conta com uma solução Web, que promove a integração direta com fornecedores, facilitando o recebimento de cotações, sem a necessidade de processos manuais ou retrabalho. Além disso, o ERP também proporciona maior controle do estoque, dos setores de produção, compras, vendas e logística e da administração financeira do negócio. Tudo isso impacta não só na otimização dos resultados de cada empresa, mas também melhora a integração entre elas, já que as informações são mais assertivas, assim como a tomada de decisão.

Fonte: WK Sistemas