BPM: como as empresas brasileiras podem tirar proveito desse conceito

Em um cenário de negócios desafiador e em constante transformação, no qual as empresas – de qualquer porte e perfil – precisam ser cada vez mais competitivas e produtivas, cresce o uso do conceito de BPM (Business Process Management ou, em português, Gerenciamento dos Processos de Negócio). Trata-se de uma abordagem de gestão desenvolvida com a finalidade de sistematizar e facilitar processos organizacionais de maneira customizada, permitindo assim identificar continuamente pontos de melhoria e oportunidades, e fazendo adaptações constantes.

*Por Alex Sugiyama

bpm-como-as-empresas-brasileiras-podem-tirar-proveito-desse-conceito

Os dados de uma recente pesquisa realizada pela ABPMP Brasil – associação internacional de profissionais de BPM – confirmam a percepção de que esse conceito começa a ganhar força no Brasil, embora hoje ainda a abordagem na maior parte dos casos esteja restrita a determinadas áreas da organização.

De acordo com o estudo da ABPMP Brasil, realizado em 2015, entre as empresas que já adotam o conceito, a maioria (55%) iniciou a implementação há até três anos, sendo que 25% delas há menos de 12 meses. Além disso, 46% das iniciativas são usadas para ações de melhorias locais em departamentos e só 19% utilizam a Gestão dos Processos de Negócio para melhoria de processos ponta-a-ponta, com ganhos para toda a organização.

Em geral, o grande motivador dos projetos de BPM tem sido a melhoria da produtividade. No entanto, os benefícios dessa abordagem vão bem além desse ponto. Isso porque, uma visão mais clara e organizada dos processos garante não só a identificação de pontos que podem impactar na eficiência operacional, mas também permite que as empresas tenham mais agilidade para realizar mudanças; reduz riscos de fraudes; garante a conformidade com leis e regulamentações da indústria; permite uma mensuração clara dos processos; preenche as lacunas de comunicação entre as áreas de negócios e de TI, entre outros.

Do ponto de vista dos clientes, o BPM tende a aumentar a satisfação dos usuários externos, ao reduzir trabalhos e processos repetitivos que gerem burocracia, permitindo assim que as equipes dediquem mais tempo a atender e entender os consumidores.

A adoção de BPM representa não só uma tendência de mercado, mas principalmente uma necessidade urgente das empresas que quiserem permanecer no mercado em médio e longo prazos. Uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) identificou que três a cada cinco empresas fecharam as portas no Brasil nos últimos cinco anos. E entre os principais motivadores dessa alta taxa de mortalidade estão a falta de planejamento e definição clara de processos.

Enfim, o cenário de transformações constantes exige, mais do que nunca, que as empresas tenham um controle adequado dos processos para manter a competitividade, a eficiência na operação e, principalmente, a longevidade dos negócios.

Fonte: Senior