Como enfrentar o volume x tempo de processamento das informações? Tecnologia “in memory”!

A constante busca pelo aumento da qualidade e produtividade nos resultados das organizações tem levado as empresas, em todo mundo, a investirem em novas tecnologias para que seja possível lidar, de maneira cada vez mais eficaz, com o grande e crescente volume de informações em suas diversas áreas, a partir de seus variados processos de negócios envolvendo, por exemplo, vendas, desenvolvimento de produtos, distribuição, cobrança, atendimento de pedidos; processos organizacionais, tais como planejamento estratégico, orçamentos, recrutamento e seleção, compras e treinamentos; e, também, processos gerenciais como fixação de metas, avaliação de resultados, alocação de recursos, entre outros.

Cada vez mais, quando falamos em volume de informações, o foco não se direciona mais apenas para a coleta e a análise dos dados. O fato é que as empresas precisam que as informações estejam, em suas mãos, perfeitamente disponíveis e a ponto de promoverem tomadas de decisão realmente mais assertivas, independente da origem ou do seu formato, sendo estruturado ou não. E não é só isso. As empresas precisam que estas informações sejam acessadas de maneira rápida, muito rápida. Tempo e, portanto, desempenho no acesso às informações tem-se se tornado cada vez mais imprescindível à sobrevivência, manutenção e evolução das organizações no mercado.

Mas como, então, disponibilizar um volume cada vez maior de informações em um tempo cada vez menor de processamento, isto é, de maneira quase instantânea? Como fazer com que usuários de sistemas ao redor do mundo possam obter suas informações, em tempo real, praticamente ao clique de seus mouses ou teclar de um “enter”? Como disponibilizar informações de maneira tão rápida a ponto de impactar nas estratégias de negócios das empresas? Como correr contra o tempo? Como enfrentar o “volume x tempo de processamento das informações”? Como vencer esta guerra?

A tecnologia “in memory”, ou os bancos de dados “in memory”, “main memory” ou “memory resident” tem apresentado uma solução bastante promissora a este grande desafio. Sua proposta é a de carregar as informações em disco rígido para a memória do servidor. Assim, como o próprio nome sugere, o acesso às informações é realizado diretamente na memória do computador, e não mais no disco, o que diminui drasticamente o tempo de processamento, possibilitando “varrer” terabytes de dados em segundos.

Os bancos de dados “in memory” possuem vantagens dos banco de dados tradicionais, mas com o grande diferencial de oferecerem alto desempenho para aplicações que necessitam de acesso frequente aos dados. A tecnologia “in memory” também reduz os custos com TI, uma vez que sua utilização não depende de investimentos em hardware e não demanda os já conhecidos altos valores atribuídos à manutenção de banco de dados.

Se a sua empresa está crescendo é natural que o volume de informações também esteja. Se hoje, você já percebe que algumas informações poderiam ser acessadas com mais facilidade e, principalmente, com um desempenho diferenciado do que você tem em mãos, imagina o que o futuro lhe reserva. As empresas precisam cada vez mais extrair o máximo de valor em suas informações, principalmente, investindo em alguma tecnologia que possa tratar seu crescente volume de informações, ajudando-o analisá-las em nível cada vez mais gerencial e estratégico. A tecnologia “in memory” demonstra ser uma solução para resolver este problema, além de potencializar as tomadas de decisão em diferentes níveis das organizações.

Soluções WK

A WK Sistemas tem um histórico de inovações tecnológicas muito marcantes e recentemente marcou mais um avanço ao lançar a versão 6.0 do ERP Radar Empresarial em 64 bits. Esta versão é o primeiro passo de seu projeto intitulado “RedRocket64” que contempla também o processamento em paralelismo e mais um grande salto tecnológico colocando o banco de dados in memory, que fará o uso de alta tecnologia e colocará os sistemas da WK na vanguarda sobre este tipo de aplicação de banco de dados entre os maiores players de mercado mundial.

Na contramão do mercado, estamos comemorando um expressivo crescimento em negócios em 2015 e isso nos motiva a investir cada vez mais no aprimoramento de de nossa Soluções. Temos muito trabalho pela frente e grandes desafios. Encaramos o desafio de ser a primeira empresa brasileira a ter um ERP com banco de dados 100% in memory com tecnologia genuinamente nacional e desenvolvida totalmente pela WK Sistemas”, explica Werner Keske, presidente da WK Sistemas e líder do projeto RedRocket64.

O Projeto RedRocket64, que levará ainda cerca de 6 a 8 meses para ser finalizado, poderá elevar em mais de 200 vezes a velocidade de processamento e acesso às informações no ERP WK em diversas rotinas, das mais simples as mais complexas.

Quando totalmente implementadas, as inovações tecnológicas proporcionarão as seguintes vantagens aos clientes:

  1. Migração total de programas e banco de dados de arquitetura de 32 para 64 bits;
  2. Otimização de cerca de oito milhões de linhas de código para eliminação de redundâncias e instruções desnecessárias;
  3. Processamento em paralelo para utilizar todos os processadores simultaneamente executando uma mesma instrução e;
  4. Alocação do banco de dados WK Database 100% em memória para permitir acesso instantâneo às tabelas de dados sem a necessidade de acessar o disco físico.

O ERP Radar Empresarial é uma solução completa que integra de maneira inteligente todas as áreas da empresa: Vendas, Finanças, Materiais, Produção, Custos, Serviços, Controladoria, RH, GED, Qualidade e BI. Os recursos são adaptáveis às necessidades e à realidade de empresas de todos os portes e segmentos.

 

Fonte: WK Sistemas