Erros na gestão industrial: quais são os mais comuns e como evitá-los

Independentemente do segmento ou do porte, quando o assunto é administrar uma empresa temos a certeza de que não é algo simples, certo? Se estivermos falando de uma indústria, com as suas diversas particularidades, é necessário ter ainda mais atenção, afinal, precisamos lidar com diversos funcionários — muitas vezes na casa das centenas —, além de processos, produção, demandas e por aí vai. Por isso, cometer erros na gestão industrial não é algo difícil, porém, há algumas medidas que podem ser tomadas para evitar que isso ocorra.

Para ajudar você na administração da sua indústria, vamos apontar os erros mais comuns cometidos no chão de fábrica (e que talvez você ainda não tenha percebido). E como estamos aqui com o objetivo de fazer você alcançar o sucesso, também daremos algumas dicas de como evitar essas falhas e resolver questões que possam atrapalhar o bom andamento do seu negócio. Confira!

Cálculos duvidosos dos custos de produção

Sem saber exatamente o custo de produção da sua fábrica é praticamente impossível fazer qualquer outro cálculo ou até mesmo definir questões básicas, como o preço de venda de um produto ou a remuneração dos colaboradores, por exemplo. Então, o primeiro passo é fazer o levantamento dos custos, desde a matéria-prima até a logística, passando pelas horas-máquina e vendas.

Com tudo reunido vai ficar muito mais fácil verificar quanto custa cada produto da sua indústria e, consequentemente, o total geral da unidade fabril. Assim, a gestão é agilizada, as decisões são tomadas com mais confiança e você não corre o risco de pagar para produzir, além de evitar vários outros erros decorrentes deste.

Demanda mal calculada

Para garantir uma boa reputação e a consolidação da indústria no mercado é preciso entregar aquilo que você se comprometeu a fazer. Oferecer mais do que pode cumprir ou atrasar a entrega gera desconfiança e pode acabar com o nome do seu negócio. Muitos gestores cometem esse erro por acreditarem que aumentar a produção significa apenas faturar mais, esquecendo que, para isso, também se gasta mais.

Um crescimento coerente, estável e uniforme é muito mais indicado do que rompantes de superprodução, pois geralmente essa atitude pode dificultar retornos. Para não cair nessa tentação, a palavra-chave é planejamento. Com uma análise constante da demanda e da capacidade de produção, é possível traçar um plano eficiente de produção e entrega, criando um ambiente de confiança e satisfação.

Máquinas ou colaboradores ociosos

Se máquinas e colaboradores estão parados no chão de fábrica, provavelmente sua produção não está operando com todo o potencial existente. Para operar em 100% é preciso coordenar o processo produtivo para que as etapas sejam conduzidas na mesma velocidade, usando toda a capacidade das máquinas e dos funcionários.

Uma das formas de resolver essa questão é ter um controle da demanda, por isso, muitas vezes, vale mais investir em gestão e planejamento para aperfeiçoar a utilização dos recursos já existentes na sua indústria do que buscar novos recursos que serão subutilizados.

Manutenção atrasada ou ausente

Ainda hoje, muitos empresários acreditam que fazer manutenção significa ter despesa. Esse é um erro grave. Manutenção é investimento e, por isso mesmo, precisa ser tratada como uma ação estratégica e feita de forma planejada. Isso quer dizer que você não deve esperar uma máquina dar problema ou perder uma parcela da matéria-prima para fazer uma revisão geral. O importante é agir antes da falha para não ter que reagir a ela.

Por isso, o ideal é fazer a manutenção preventiva em todos os equipamentos, garantindo, assim, que não haja interrupções não planejadas na produção, perda de matéria-prima e acidentes com os trabalhadores, por exemplo. Esses problemas, sim, é que se tornarão despesas, e pior, não planejadas. De todo modo, estar preparado para possíveis adversidades é fundamental para ter um crescimento sustentável.

Estoque mal gerenciado

Estoque parado é dinheiro parado. Aliás, muitas empresas têm mais dinheiro dentro do estoque do que nas contas bancárias. Se a sua fábrica tem problemas neste setor, a saúde financeira dela corre um sério risco. Por isso, uma gestão eficaz desta área é fundamental para manter a sua indústria em boa operação.

Há duas dicas importantes aqui. Uma delas é coordenar o controle do estoque com a demanda da produção. Dessa forma, é possível garantir que não haja excesso e nem escassez de mercadorias. A outra é automatizar a gestão do estoque por meio de um software que, normalmente, já está integrado com as áreas de compras e de vendas, permitindo a atualização automática da quantidade de produtos armazenados. Inclusive, já falamos sobre como administrar o estoque em outro texto aqui no blog.

Logística fragmentada

Não basta fazer tudo certo no chão de fábrica se no momento de entregar os produtos ocorrerem problemas. Todos os processos devem acontecer de maneira unificada, eficiente e dinâmica, por isso, os gestores precisam estar sempre atentos à cadeia produção-transporte para verificarem se tudo segue como o planejado. É preciso investir na manutenção dos veículos, na organização dos colaboradores para evitar a ociosidade, no controle das rotas de acordo com a demanda, entre outras ações.

A logística tem papel fundamental na produção industrial, e erros podem gerar uma quebra dos recursos financeiros, levando até mesmo o negócio à falência. Então, use todos os recursos disponíveis para gerir essa etapa do processo de forma eficiente.

Informações descentralizadas

Esta pode ser considerada a mais problemática e também a mais comum das dificuldades na maioria das indústrias. Se seus gestores registram as informações em diferentes planilhas ou documentos, ou simplesmente não registram, possivelmente você se verá no meio do caos, com dados descentralizados e perdidos em diferentes partes do processo produtivo. Com tudo desorganizado não é possível gerar relatórios confiáveis e, muito menos, tomar decisões assertivas.

Para resolver isso há duas soluções complementares. A primeira é cobrar dos seus funcionários comprometimento com o trabalho e com o sucesso do negócio. A segunda é automatizar todo o processo de produção e administração. Você tem que eliminar as pilhas de papéis, os documentos desencontrados e as anotações em bloquinhos e centralizar tudo em um software de gestão, de preferência um que integre todos os setores da sua indústria.

A dica aqui é o ERP Radar Empresarial, da WK Sistemas, uma solução de gestão completa, inteligente e funcional, que permite gerenciar e integrar as operações desde as áreas de vendas e produção até a controladoria, independentemente do porte ou do segmento da sua indústria. Ele possibilita o gerenciamento de todo o processo de compras, mapeia as etapas de produção, controla o financeiro, administra as cotações de preços, rastreia as entregas dos fornecedores e organiza o estoque, além de agilizar a parte comercial e cumprir com todas as obrigações legais.

São facilidades e tanto para quem não quer cometer erros na gestão industrial, não é verdade? Então, que tal saber mais sobre essa solução? Entre contato conosco ou deixe o seu comentário. Estamos prontos para tirar todas as suas dúvidas e ajudar você a alcançar cada vez mais sucesso.

Fonte: WK Sistemas