O que as indústrias precisam saber sobre a ISO 9001:2015

Quando o assunto é qualidade nas indústrias, não tem como não pensar logo na ISO 9001. Isso porque a certificação trata de um conjunto de normas que visam orientar a implementação e a manutenção de um sistema de gestão da qualidade (SGQ). Criada em 1987, ela já sofreu diversas alterações ao longo do tempo para que os processos internos e as decisões administrativas ficassem mais ágeis e menos burocráticas. Contudo, a versão ISO 9001:2015, sua última atualização, trouxe mudanças estruturais na forma de encarar um sistema de gestão, indo além da elaboração de documentos e tratando, então, de uma mudança de postura. Para você ficar por dentro das alterações, listamos as cinco mais significativas. Confira!

1. Criação do Anexo SL (estrutura de alto nível)

Na versão anterior, a ISO 9001 não tinha normas com um padrão estrutural para todos os sistemas. Isso quer dizer que mesmo se houvesse comitês de sistemas de gestão diferentes fazendo parte da mesma empresa, cada um deles determinava quais requisitos faziam parte do seu sistema e a maneira que eram abordados, não contemplando o todo. Como consequência, essa falta de estrutura tornou-se um problema ao longo do tempo, pois, além de duplicar informações, estava ocasionando equívocos e perda de tempo.

Sendo assim, a ISO criou o Anexo SL, também conhecido como estrutura de alto nível, visando ganhar mais agilidade nos processos. Este documento estabelece um padrão de requisitos fundamentais para os sistemas de gestão corrigirem as falhas nos processos e integrarem as informações. Desse modo, é possível poupar tempo e reduzir as inconsistências, dando mais segurança às tomadas de decisões.

2. Maior participação das lideranças

Até a ISO 9001:2008, o principal responsável pelo sistema de gestão da qualidade era o representante da direção (RD). Agora, essa função é descentralizada e fica a cargo de todas as lideranças da empresa. O intuito é disseminar a cultura de gestão da qualidade para toda a indústria.

3. Gestão de risco

Já presente na versão 2008 em forma de ações preventivas, a gestão de risco ganhou força na versão 2015. Agora com mais aplicabilidade no planejamento estratégico, ela visa aprimorar toda a gestão da indústria, tanto para os impactos negativos quanto para os positivos. Para elaborar uma gestão de riscos eficiente é necessário:

  • Determinar os riscos existentes na empresa, de acordo com o contexto da organização e independentemente de serem relacionados às estratégias de negócios ou processos produtivos;
  • Caracterizar e classificar esses riscos;
  • Criar planos de mitigação e contingência para cada um desses riscos;
  • Controlar as possíveis ocorrências atreladas a eles.

Porém, é importante ficar atento! Apesar de a norma especificar que a indústria deve seguir as orientações citadas acima, não há nenhuma indicação de métodos formais para gestão de riscos ou um processo de gestão de riscos documentado. Portanto, é sempre bom perguntar ao seu auditor qual o melhor caminho a ser seguido neste caso para garantir a sua certificação.

4. Substituição do termo treinamento por conhecimento

Os treinamentos recorrentes devem continuar com o intuito de garantir a execução eficiente do sistema de gestão da qualidade. No entanto, passam a fazer parte de uma estratégia ainda maior, que é a gestão do conhecimento da indústria. Dessa forma, será possível assegurar a sustentabilidade do negócio em longo prazo, protegendo a organização de perdas de informações e encorajando-a a sempre adquirir mais conhecimento.

5. Inclusão da palavra serviços na norma

A ISO 9001 sempre usou a palavra produto para se referir a um produto ou serviço. Porém, muitos empresários que trabalham com a prestação de serviços ficavam na dúvida se poderiam ou não aplicar a ISO 9001 no seu negócio. Agora esse problema está resolvido. Com a última atualização, a norma passou a mencionar produtos e serviços para todos os tipos de saídas — produto tangível, serviços, software e materiais processados.

O que fazer para conquistar a ISO 9001:2015

O processo de implantação da ISO 9001:2015 precisa compreender etapas importantes para garantir que todos os resultados esperados sejam alcançados. Por isso, elaboramos seis passos rápidos para você saber exatamente o que fazer. Veja!

  1. Defina o método de implementação adequado para sua empresa: essencial para dimensionar o nível de adequação da gestão da sua indústria em relação aos requisitos da ISO 9001:2015.
  2. Determine uma equipe de implementação: é fundamental estruturar uma equipe que fique à frente da implementação. O ideal é que ela seja composta pelos líderes, garantindo, assim, o sucesso das ações e o entendimento dos colaboradores sobre a importância do processo.
  3. Capacite a equipe de implementação e elabore um plano de ação: após montar a equipe, invista em treinamentos para deixá-la preparada para a fase de implementação. Em paralelo, estruture um plano de ação para adequar a organização aos requisitos exigidos pela ISO 9001.
  4. Implemente os requisitos da norma: nessa fase, os esforços devem estar concentrados na criação do sistema de gestão, visando uma melhoria contínua no seu negócio. Além disso, é nesse momento que devem ser realizados treinamentos com os colaboradores para que eles se familiarizem a essa nova forma de realizar a gestão da qualidade dentro da indústria.
  5. Execute uma auditoria interna: ao terminar o processo de implementação é aconselhável fazer uma pré-auditoria. Dessa maneira, é possível verificar os prováveis erros do processo, os pontos em que são necessárias algumas mudanças ou, até mesmo, a inclusão de dados complementares. Essa avaliação não é oficial, por isso, qualquer não-conformidade é uma oportunidade para pequenas alterações ou melhorias.
  6. Contrate a auditoria de certificação: feito tudo isso, é hora de contratar uma certificadora e garantir o seu certificado de qualidade.

Já tenho ISO 9001, como migrar para a nova versão?

Como as atualizações foram publicadas em 15 de setembro de 2015, a indústria tem o prazo de três anos a partir desta data para implementar os novos requisitos, ou seja, tem até 15 de setembro de 2018 para estar com o novo certificado em mãos. Para fazer essa transição, basta realizar as alterações exigidas e agendar previamente uma auditoria externa.

E você, já tem a ISO 9001 ou ainda está pensando em implementá-la? Seja qual for a sua resposta, aqui na WK temos soluções inovadoras para a gestão da qualidade que integram processos e rotinas para simplificar o seu dia a dia. Assim, fica mais fácil garantir o seu certificado! Para saber mais, entre em contato com a gente. Estamos prontos para ajudá-lo!

Fonte: WK Sistemas