RH Ágil: descomplique processos e estimule resultados.

Muito mais que uma metodologia, a agilidade é uma cultura, uma nova forma de pensar e agir.

Muito mais que uma metodologia, a agilidade é uma cultura, uma nova forma de pensar e agir. Por conta disso, não basta somente aplicar um ou outro método ágil para conseguir obter os resultados prometidos. É preciso encarar uma mudança de mindset, incentivar a área e a organização a respirarem novos conceitos e quebrarem paradigmas.

Com as mudanças trazidas pela Era Digital, o setor de RH tem passado por diversas adaptações para se alinhar às grandes tendências tecnológicas e assumir um papel mais analítico e estratégico nas organizações. Cada vez mais, é preciso que os setores de RH invistam em métodos ágeis que otimizem as tarefas e agilizem tomadas de decisão para estar preparado para o futuro.

Ser um RH Ágil se tornou um grande diferencial dos setores de gestão de pessoas que desejam se manter atualizados e prontos para o futuro. Isso porque as práticas ágeis estimulam que as equipes se organizem, compreendam as suas demandas e saibam como antecipá-las.

Metodologias Ágeis: como tudo começou

As primeiras práticas e metodologias que apresentavam as ideias iniciais da agilidade começaram durante os 90 no desenvolvimento de software em ações isoladas de pessoas que questionavam os modelos existentes e que não atendiam as dinâmicas e necessidades apresentadas pelo mercado. Publicado em 2001, o foi o resultado do alinhamento dos principais conceitos de agilidade que estavam sendo praticados na época.

Com o tempo, especialistas observaram que as práticas ágeis poderiam ser úteis para outras áreas também e assim, o ágil começou a se expandir para outros segmentos. As práticas começaram a despertaram o interesse de novas áreas e aos poucos, já estavam sendo usadas para projetar novas rotinas de equipes e inovar as formas de desenvolver trabalhos.

Não demorou muito para que os setores de RH começassem a estudar as práticas ágeis e analisar como seria possível aplicá-las no dia a dia do departamento de recursos humanos. Foi assim que surgiu um novo modelo de RH: o RH Ágil.

RH Ágil: um modelo de RH para a transformação digital.

A agilidade contemplou o setor de RH com uma alternativa nova para as equipes de gestão de pessoas desempenharem suas atividades. Assim como no desenvolvimento para softwares, o RH Ágil tem como principal objetivo maximizar os fluxos de trabalho sem abrir mão de qualidade.

Para que as práticas funcionassem no RH, uma coisa é fundamental: as equipes precisam estar dispostas a estudar os métodos e analisar a melhor forma de trazê-los para dentro do setor. Mas quais as serão as técnicas utilizadas pelo método? Explicaremos cada uma delas a seguir. Acompanhe!

Técnicas do RH Ágil

Dentro das práticas ágeis, existem vários métodos usados pelo mercado. Abaixo, vamos falar um pouco sobre o Scrum e o Kanban, que são as duas ferramentas de gestão muito utilizadas:

SCRUM

O Scrum é uma das técnicas ágeis mais conhecidas. Nesse método, os colaboradores trabalham em conjunto para realizar um projeto específico em um determinado prazo de tempo. O Scrum tem sido usado para gerenciar o trabalho em produtos complexos desde o início dos anos 90. O termo “Scrum” vem de um artigo de 1986 da Harvard Business Review, onde Hirotaka Takeuchi e Ikujiro Nonaka fizeram uma analogia comparando equipes multifuncionais de alto desempenho com a formação de scrum usada por equipes de rúgbi.

Nas práticas definidas pela metodologia, as equipes devem ser multidisciplinares e possuir aproximadamente 9 pessoas. O trabalho que deve ser realizado fica dentro do Product Backlog e os ciclos de trabalho são chamados de Sprints. A Sprint representa um time box, um conjunto de atividades que deve ser executado dentro de um período que pode variar de uma a quatro semanas.

O grande diferencial de outras metodologias de gestão “tradicional” é o foco nos alinhamentos constantes da equipe com reunião diárias (Daily Scrum de 15 min no máximo), planejamento em ondas (sprint planning) e um forte trabalho de melhoria continua (sprint review meeting e sprint retrospective).

Os papéis do SCRUM são:

  • Product Owner – É a pessoa que define os itens que compõem o Product Backlog e define as prioridades nas Sprint Planning Meetings.
  • Scrum Master – O Scrum Master procura assegurar que a equipe respeite e siga os valores e as práticas do Scrum.
  • Scrum Team – É a equipe de desenvolvimento. Nela, não existe necessariamente uma divisão funcional através de papéis tradicionais e todos no projeto trabalham juntos para completar a demanda de um Sprint.

KANBAN

Kanban é uma palavra de origem japonesa que significa “cartão” ou “sinalização”. Desenvolvida pela Toyota na década de 40, a técnica do Kanban tem como objetivo aumentar a eficiência e produção das empresas, independente do segmento.

David Anderson adaptou os conceitos da manufatura do Kanban para o trabalhador do conhecimento. O foco dessa adaptação era trabalhar na gestão do fluxo do trabalho que está sendo realizado, evitando os “gargalos” e desperdícios para a realização das atividades com foco na adaptação das necessidades dos clientes.

O método Kanban está baseado em 4 princípios:
1. Comece com o que você tem hoje.
2. Concorde em buscar mudanças evolucionárias.
3. Respeite o processo atual, papéis, responsabilidades e cargos.
4. Incentive atos de liderança em todos os níveis.

Suas práticas são bem simples e diretas:
• Visualize o fluxo de trabalho.
• Limite o trabalho em andamento (WIP).
• Faça a gestão do fluxo de trabalho.
• Políticas e acordos explícitos.
• Melhore colaborativamente e evolua experimentalmente.

O Kanban foi construído em cima do princípio: “pare de começar e comece a terminar”. Na técnica, são utilizados cartões coloridos (post-its) para construir um sistema de controle e gestão do fluxo das atividades. Os cartões são fixados na parede para que toda a equipe tenha fácil visualização e compreensão dos processos. Assim, todos sabem o que está sendo feito e o que ainda precisa ser realizado.

Para implementar métodos ágeis no RH da sua empresa, pesquise bastante e descubra quais técnicas melhor se encaixam no cotidiano de trabalho do setor. Por trazer muitos benefícios, tanto a curto quanto a médio e longo prazo, vale estudar bastante cada um dos métodos e identificar a melhor forma de aplicá-lo na sua empresa.

Fonte: Senior Sistemas