Senior discute e testa novas alterações do eSocial e do Reinf

Reunião entre grandes empresas discute e decide sobre novo leiaute, ainda em aprovação no governo. Ao lado de clientes, Senior já realiza testes e homologações, antecipando ajustes e orientando as companhias na tratativa das informações a serem enviadas.

Referência em sistemas para gestão empresarial no Brasil, a Senior esteve reunida na última semana com as empresas que fazem parte do Grupo de Trabalho criado pelo governo para discutir assuntos relacionados ao eSocial e ao EFD-Reinf, ajudando a alinhar os sistemas antes que sejam efetivamente obrigatórios. Realizado na sede do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) em Brasília, o encontro foi pautado por discussões e decisões sobre algumas alterações finais propostas para o Leiaute 2.2 do eSocial, que deve ser publicado em breve.

“Nesta semana estamos com nosso cliente FCA Services (divisão de Serviços da Fiat Chrysler Automobiles), testando e homologando a nossa solução com as informações relativas aos leiautes iniciais e não-periódicos, na regional do SERPRO em Belo Horizonte/BH”, afirma o gerente de Produto da Senior, Ricardo Kremer. A Senior está sempre um passo à frente em relação às novas regras do eSocial. Além da FCA, no Grupo de Trabalho a Senior acompanhou a também cliente Fesp (Federação das Unimeds do Estado de São Paulo).

“O eSocial tem se tornado o principal motivo de preocupação nas empresas. O projeto propõe grande mudanças e a falta de informações precisas fornecidas pelo governo geram especulações e comunicações desencontradas, trazendo instabilidade e dificultando o planejamento. A participação da Unimed FESP no grupo de empresas-piloto do eSocial, representando a Unimed do Brasil, tem sido de suma importância para o sistema Unimed. Dessa forma, conseguimos informações privilegiadas e a oportunidade de discutirmos casos do nosso dia a dia, da nossa realidade, junto com as principais empresas do país. Tão importante quanto as informações obtidas é a participação do nosso fornecedor de software, a Senior. O envolvimento ativo da Senior no Grupo de Trabalho nos deixa tranquilos em relação ao desenho das soluções projetadas pela companhia para nossa adequação ao eSocial, permitindo que possamos focar apenas nas mudanças necessárias ao processo”, afirma Mario Salerno Junior, Consultor na área de Tecnologia da Informação | Sistemas da Unimed FESP.

Também na pauta da reunião, a EFD-Reinf (Escrituração Fiscal Digital das Retenções e Informações da Contribuição Previdenciária Substituída) substituirá as informações contidas em outras obrigações acessórias, tais como a DIRF (Declaração do Imposto Retido sobre a Renda) e o módulo da EFD-Contribuições que apura a Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB). Serão informados também na Reinf os recursos recebidos e repassados para associações desportivas e para as entidades promotoras de eventos com clubes de futebol profissional. A comercialização da produção e a receita bruta para apuração das contribuições previdenciárias substituídas pelas agroindústrias e produtores rurais finalizam a lista das informações da nova declaração.

 

EM ETAPAS, COM MUITO DIÁLOGO

Parte das informações solicitadas pelo projeto EFD-Reinf já haviam sido solicitadas no projeto inicial do eSocial. Porém, isso gerou um certo desconforto para as empresas, porque havia informações – como de folha de pagamento controladas pela área de RH, misturadas com informações das retenções de terceiros controladas pelas áreas fiscal e tributária, por exemplo. Com a separação desses dois projetos (eSocial e EFD-Reinf), as diferentes áreas das empresas tiveram mais foco e o diálogo com os times responsáveis por cada projeto deu mais tranquilidade aos gestores.

 

UNIVERSO DE INFORMAÇÕES

Segundo estudos do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), são editadas em média 31 novas regras tributárias por dia no Brasil e as mudanças na legislação acontecem praticamente em menos de duas horas. Pela ótica das empresas, são mais de 3,6 mil regras que as empresas precisam seguir e, se imprimíssemos tudo isso em uma folha de A4 com fonte Arial tamanho 12, teríamos cerca de 5,8 km de regras tributárias por empresa.

O eSocial vai unificar num único sistema o envio de todas as informações dos trabalhadores aos órgãos federais. Para se adaptar, as empresas terão de mudar a maneira como tratam esses dados.

A adoção de uma solução fiscal especialista é um investimento mais que viável nesse cenário para apoiar as organizações. “A Senior oferece soluções flexíveis e confiáveis que atendem os mais variados segmentos de mercado, ajudando as organizações a estarem em compliance com as boas práticas e padrões legais. Nossas soluções contam com ferramentas que permitem às empresas mostrar e comprovar ao mercado que interpretam com efetividade as leis que regem suas atividades através de eficiente controle interno e atenção aos riscos operacionais”, explica Ricardo Kremer. Ao estarem em compliance, as organizações ganham produtividade, competitividade e mantém suas informações seguras, garantindo o bom funcionamento e o sucesso do negócio.

Fonte: Senior