Seu controle de estoque de um jeito que você nunca viu!

Se a sua produção possui um controle de estoque pouco efetivo, os riscos de você ter de parar a produção por falta de insumos são consideravelmente altos. É por isso que indústrias de todos os portes têm investido cada vez mais em soluções que melhor atendam a essa demanda. E quando a solução ainda traz facilidades em relação ao Bloco K, aí é perfeito.

Mas e se te dissermos que conseguimos automatizar todos os lançamentos do processo produtivo em si, ou seja, baixas da produção dos insumos, e a entrada da produção do produto acabado, além da própria saída deste produto acabado? Bom demais, não é mesmo!?

Descubra, a seguir, como o nosso ERP pode ser um divisor de águas para seu estoque.

Insumos e produção

Entra matéria-prima, sai produto acabado: como resolver isso no estoque? Fazer o controle de estoque não é uma tarefa das mais difíceis. Se você tiver um bom ERP, basta informar “o que entra” de insumo que, com base nas notas fiscais emitidas (o que sai), ele já indicará quais itens precisam ser comprados de modo a repor os insumos daquela semana ou daquele mês.

Mas há uma situação em que boa parte dos ERPs não costumam prever. Imagine que uma empresa produz asfalto. Para chegar ao produto final (o asfalto em si), utiliza uma série de componentes (cimento asfáltico de petróleo, pó de pedra, brita, etc.). Mas se no sistema ela der entrada nos insumos, e na nota fiscal a saída for só “asfalto”, isso trará inconsistências.

Se foi vendida 1 tonelada de asfalto, você saberia dizer quanto isso representou, no processo de produção, em cimento asfáltico de petróleo (CAP), pó de pedra e brita? Ter essa informação é importante para que informemos ao estoque a quantidade de matéria-prima que precisa ser reposta. A boa notícia é que o ERP da WK já prevê esse tipo de funcionalidade! A cada tonelada vendida de asfalto, o sistema indica o quanto de matéria-prima deve ser reposta.

Simples como deve ser

O produtor deverá informar, só uma vez no sistema, o quanto de matéria-prima ele precisa para fazer uma determinada quantidade do “produto final” que, a partir disso, o cálculo passa a ser automático. Digamos que para 1 tonelada de asfalto ele precisa de 500 kg pó de pedra, 400 kg de brita e 100 kg de cimento asfáltico. A cada 1 tonelada produzida, o sistema indicará o consumo de 500 kg de pó de pedra, 400kg de brita e 100 kg de Cimento Asfáltico. Como resultado, o controle de estoque já consegue apurar o que será preciso repor destes insumos.

Impactos para o Bloco K

Depois que o usuário indica no sistema o quanto de matéria-prima ele precisa para fazer seu produto final, o ERP passa a efetuar os lançamentos automáticos de baixa da produção dos insumos e da entrada da produção do produto acabado. Isso irá gerar dois registros no Bloco K: K230 (referente aos itens produzidos) e K235 (referente aos insumos consumidos).

Tais registros serão utilizados para atualizar o registro K200, referente ao saldo de estoque.

Note que com este recurso, indústrias obrigadas à apresentação do Bloco K do SPED Fiscal terão a geração destes registros de forma automática, estando em total compliance fiscal.

Para saber mais sobre essa solução, acesse o nosso site ou entre em contato conosco! Nós estamos a postos para ajudar!

Fonte: WK Sistemas

WhatsApp
Posso ajudar?
Olá, como posso ajudá-lo(a)?