[E-book] Bloco K e o impacto na gestão do estoque

As constantes mudanças no mercado e nas relações entre as empresas e o governo causam tensões e rupturas com modelos que até então prevaleciam. Este é o caso do Bloco K do SPED Fiscal, que tem alterado a forma como os estabelecimentos lidam com a gestão do estoque e da produção.

Porém, cabe aos empreendedores decidirem se simplesmente cumprem essa nova obrigação burocraticamente ou se aproveitam a oportunidade para otimizar os seus processos e ter mais controle sobre cada operação. Encarado desta última forma, o Bloco K do SPED Fiscal pode ser o empurrão que faltava para uma mudança cultural nos negócios.

Para auxiliar você a entender e adaptar sua empresa ao Bloco K de uma forma prática e segura, elaboramos um e-book especial com as informações necessárias sobre a obrigatoriedade. Vamos conhecer os detalhes deste material?

O Bloco K e suas obrigações

No primeiro capítulo, tratamos da parte mais conceitual e teórica da obrigatoriedade. Nele, mostramos que o Bloco K trata da escrituração eletrônica do Livro de Registro de Controle da Produção e do Estoque e faz parte do módulo EFD-ICMS/IPI, do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). Por ele, são enviadas ao governo as informações relacionadas à produção, ao estoque e aos materiais utilizados na fabricação de todos os produtos. Isso significa que tudo passa a ter que ser minuciosamente registrado, como perdas ou sobras de materiais, ordens e apontamentos de produção, requisições e recebimentos de mercadoria e até mesmo entrada e saída de sucata.

Nessa parte, também falamos sobre os prazos, já que o Bloco K vem sendo implementado aos poucos nas indústrias e nas empresas atacadistas. Seu cronograma, que está dividido por faturamento e por segmento, teve início em 2106 e vai até 2022, quando todas as empresas, independentemente do porte, deverão estar completamente adaptadas a essa nova realidade.

O primeiro prazo, por exemplo, foi cumprido em 1º de janeiro de 2017, quando as indústrias classificadas nas divisões de 10 a 32 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), com faturamento anual igual ou superior a R$ 300 milhões, precisaram enviar a informação dos saldos de estoques escriturados nos Registros K200 e K280.

Depois, em janeiro de 2018, foi a vez das empresas classificadas nas divisões 10 a 32 da CNAE e com faturamento anual igual ou superior a R$ 78 milhões com escrituração completa enviarem as informações restritas aos saldos de estoques escriturados nos Registros K200 e K280. No e-book, você vai encontrar o cronograma completo, com todos os detalhes necessários para saber quando a sua empresa deve atender em definitivo a obrigação.

O impacto da legislação na gestão do estoque

O Bloco K pode ter impactos positivos ou negativos na rotina das empresas, dependendo da forma como é encarado. É claro que, por se tratar de uma exigência fiscal, o não cumprimento pode ocasionar sanções sérias ao negócio. No entanto, olhando de outra maneira, a obrigatoriedade acaba exigindo uma mudança cultural das empresas e a otimização dos seus processos, o que faz o negócio ganhar agilidade e assertividade.

E é justamente sobre essa questão cultural que falamos no segundo capítulo do e-book. Se por um lado cumprir essa obrigação dá muito trabalho, pelo nível de detalhamento e pela sua periodicidade, por outro, é preciso encarar esse novo momento como uma oportunidade. Afinal, ao tornar o preenchimento do Bloco K da maneira correta uma rotina, você vai conseguir tornar a gestão de estoque da sua empresa muito mais eficiente e ainda reduzir custos.

Como se preparar para o Bloco K do SPED Fiscal

Por fim, na terceira parte do e-book, falamos sobre o fato de que qualquer mudança exige preparação e cuidado. No caso do Bloco K, por exemplo, é necessário conferir alguns pontos para que o processo seja o mais assertivo possível. Então, antes do seu dia chegar no cronograma, verifique o cadastro dos produtos, o cadastro da estrutura dos produtos, o controle de estoque, o controle de movimentação, o controle de ordens de produção, a requisição de materiais e as remessas para industrialização. Se algo estiver incompleto, esse é o momento de corrigir!

E aqui nesse capítulo também falamos da importância de contar com o auxílio de um sistema de gestão integrada, principalmente se você faz parte do grupo que enxerga no Bloco K uma oportunidade para melhorar ainda mais os resultados da sua empresa. Nesse sentido, nossa dica é o ERP Radar Empresarial, uma solução que facilita o registro das informações necessárias para seu controle e tem integração com o SPED Fiscal, o que garante segurança e agilidade por meio da automatização e da geração dos livros contábeis em formato digital.

Este artigo é apenas um resumo do que está detalhado no e-book Bloco K e o impacto na gestão do estoque. Para acessar o material completo, basta clicar na imagem abaixo a fazer o download gratuitamente! Depois, não esqueça de compartilhar o material com a sua equipe:

E se restar alguma dúvida, deixe um comentário no espaço abaixo ou entre em contato com a gente!

Fonte: WK Sistemas