[E-book] Entenda o custo da ociosidade na indústria

Se você atua na área industrial, está cansado de saber que gerenciar os custos é essencial para o sucesso das operações, não é verdade? Até porque é a partir desse processo que os gestores podem conhecer e gerenciar com assertividade os custos da organização, garantindo a saúde financeira da empresa. Mas aqui há um aspecto que, por vezes, não ganha a atenção necessária: o custo da ociosidade na indústria.

Claro, é natural que a produção oscile ou até mesmo pare em determinadas situações. Às vezes, essas paradas são programadas, como ocorre com a manutenção das máquinas, por exemplo. Por outras, elas ocorrem sem aviso, mas são resolvidas rapidamente, como a falta de energia elétrica ou a quebra de algum equipamento. Há ainda as situações mais graves e que afetam a produção por mais tempo, como o desaquecimento do setor.

Independentemente da causa da ociosidade na indústria, é fato que esse período de parada da produção causa prejuízos. O mais visível costuma ser o atraso na entrega dos produtos, mas existem outros recursos desperdiçados durante os períodos de ociosidade que merecem ganhar a atenção dos empreendedores, pois influenciam, e muito, a competitividade do negócio.

E é para mostrar por que este assunto deve estar sempre presente na pauta dos gestores industriais que produzimos o Guia para entender o custo da ociosidade na indústria, que além de abordar como esse custo pode afetar a sua empresa, também mostra como calculá-lo. Para acessar o material, é só clicar na imagem abaixo:

Como a análise do custo da ociosidade na indústria pode torná-la mais competitiva

O primeiro capítulo do e-book fala sobre o que é o custo da ociosidade na indústria. Afinal, não é incomum que os administradores restrinjam sua análise de custos àqueles que são tangíveis e mais fáceis de mensurar e acabem deixando em segundo plano o custo de ociosidade, o que traz consequências para as áreas produtiva e financeira da empresa.

Para que seja mais fácil entender o que a ociosidade representa para o negócio, o guia traz os conceitos de capacidade produtiva e capacidade ociosa. O primeiro diz respeito ao quanto a sua empresa é capaz de produzir em um determinado período, enquanto o segundo se relaciona à diferença entre o que a sua empresa pode produzir e ao que ela, de fato, produziu em determinado período.

Ainda nesta etapa, discutimos de que forma o custo da ociosidade na indústria deve ser levado em conta nas perspectivas contábil e gerencial. A empresa deve repassar o custo da ociosidade ao produto que entrega para o cliente? Como a análise do custo da ociosidade pode ajudar a melhorar os processos do dia a dia industrial? Essas questões são fundamentais quando tratamos de ociosidade.

No segundo capítulo, passamos para a parte prática, mostrando como é possível calcular o custo da ociosidade na indústria. Há diversas fórmulas que podem ser usadas para chegar a esse custo, mas nós abordamos uma das mais utilizadas, que nos permite chegar ao custo da ociosidade por peça produzida, além de avaliar quanto essa ociosidade representa no faturamento líquido. Quer dizer, não há mais desculpa para deixar de analisar o custo da ociosidade na sua empresa!

No terceiro e último capítulo, falamos sobre a importância de manter a ociosidade sob controle. Afinal, ela representa o potencial da capacidade de produção que foi desperdiçado, uma parcela de recursos sem retorno, o que afeta a competitividade da indústria.

Quando os administradores conseguem colocar o custo da ociosidade na ponta do lápis, fica mais fácil encarar esse problema de frente com informações precisas. E esse movimento só traz benefícios, já que possibilita segurança para tomar decisões e solucionar problemas que possam estar causando essa ociosidade, evitando a perda de receitas e de competitividade frente aos concorrentes.

Mas que ações podem ser tomadas para solucionar o problema? Isso vai depender do que está causando a ociosidade, uma vez que pode ser um problema pontual ou algo mais grave, como dissemos antes. No e-book, trazemos algumas alternativas para ambos os casos para ajudá-lo a pensar melhor neste assunto.

Se você tiver alguma dúvida ou quiser continuar trocando ideias sobre o tema, conte conosco! Nossa equipe está à disposição para ajudar a sua indústria a crescer.

Fonte: WK Sistemas